Os 18 quilômetros de curvas da lagoa da Pampulha são bem convidativos para um passeio de bicicleta. Com ciclovia que percorre toda a orla e soma 29,67 km na região é a maior entre as demais regionais de Belo Horizonte, além de possuir asfalto liso e área de segurança bem demarcada. Essa característica faz com que a lagoa reúna todos os dias ciclistas de toda a cidade, que aproveitam a proximidade com a natureza para praticar o esporte em um ótimo clima. A geografia da região oferece pontos interessantes e oportunidades para pedalar para ciclistas que vão desde os iniciantes até os mais experientes.

Quem estiver começando, pode optar por uma rota que inclua o Mineirão, pois a esplanada permite uma pedalada de aquecimento muito bem-vinda antes de encarar a rua. Para quem quer evoluir e para os mais experimentados, de lá, é possível descer pela avenida Abraão Caram para acessar a orla da lagoa e a avenida Otacílio Negrão de Lima. Pela ciclovia é possível visitar pontos como o Iate Tênis Clube e a Casa do Baile, que fazem parte do conjunto arquitetônico tombado da Pampulha, Patrimônio Cultural da Humanidade. Nesse ponto, os ciclistas são convidados a fazer uma pausar e apreciar o visual único da lagoa. A avenida Otacílio Negrão de Lima leva até o Museu de Arte da Pampulha e à igreja São Francisco de Assis – uma joia de Niemeyer – e de lá pode-se partir para o Parque Ecológico da Pampulha, que oferece uma pista propícia para boas pedaladas. Para matar a sede e se refrescar, uma esticada até o Jardim Zoológico leva trailers que vendem água de coco geladinha.

Há seis anos, o empresário e publicitário Moisés Rosa, de 60 anos, pedala na Pampulha. Antes, caminhava pela orla enquanto observava os cliclistas. Ele conta que junto a um amigo resolveu começar a pedalar e, inicialmente, alugavam as bikes na região. “Depois fomos tomando gosto e compramos nossas bicicletas, depois de seis meses alugando. Em Belo Horizonte não há melhor lugar pra pedalar do que a Pampulha, especialmente por causa da pista exclusiva, embora alguns poucos motoristas ainda insistam em não respeitar os ciclistas”, relata.

Moisés andando de bike na Pampulha

Tipos de bicicletas mais indicados para a Pampulha

Quem gosta de pedalar com frequência acaba optando por investir em uma bike. Seja para utilizá-la como meio de transporte, lazer ou esporte é precisar atentar que existe uma bicicleta específica para cada finalidade. A bike urbana, como o próprio nome diz, é ideal para a cidade, perfeita para pedalar nas ruas, ciclovias ou parques. São confortáveis, podem ter bagageiro, para-lamas, farol, lanterna e buzina. Possui pneus mais finos e sem cravos, selim confortável e isso proporciona melhor eficiência no asfalto. Ciclistas urbanos podem utilizar também a bike dobrável, que ocupam pouco espaço, e pode ser colocada num cantinho da casa, no porta-malas do carro, embaixo da mesa no trabalho ou transportadas com uma bolsa específica.

Já as Speed são bicicletas feitas para velocidade, utilizadas em corridas e apropriadas para o asfalto ou estrada. Os pneus são finos e com alta pressão diminuem a aderência ao solo, o que exige maior técnica e prática do ciclista. Não é muito recomendada para iniciantes e uso em pisos escorregadios. As Mountain Bikes ou MTBs são bicicletas de montanha e as mais vendidas e populares no Brasil. São adequadas para trilhas em terrenos acidentados, estradas de terra, neve e lama, equipadas com pneus largos com cravos que oferecerem maior estabilidade em terrenos irregulares ou lama. A criançada também pode contar com uma bike específica, menor e que são voltadas para aprender a andar de bicicleta, sendo que muitas vezes são necessárias rodinha traseiras para evitar quedas e tombos.

Alugue sua bike

Mas quem não tem uma magrela não precisa ficar de fora do circuito. A Pampulha conta com o projeto Bike BH, que tem o objetivo democratizar o acesso às bicicletas na região, oferecendo um meio de transporte e lazer que facilite o deslocamento das pessoas, de forma não poluente, promovendo hábitos saudáveis, a humanização do ambiente urbano e a responsabilidade social das pessoas.

O Sistema Bike BH é composto por 14 estações inteligentes de bicicletas compartilhadas, conectadas a uma central de operações via wireless, alimentadas por energia solar, distribuídas em pontos estratégicos da cidade, onde os ciclistas cadastrados podem retirar uma das 100 bicicletas disponíveis, utilizá-la em seus trajetos e devolvê-la na mesma, ou em outra estação. O projeto é gerido pela Prefeitura de Belo Horizonte e a BHtrans, operado pela empresa Serttel, com o apoio da Unimed.

As bicicletas compartilhadas tem o custo de R$ 2,00 a cada 30 minutos de uso e o usuário pode optar pela assinatura mensal no valor de R$15,00 que dá direito ao uso ilimitado, desde que sejam feitas viagens de 30 minutos com intervalos de 15 minutos entre elas. Para se tornar um usuário, basta baixar o aplicativo Bike BH pelo Play Store ou Apple Store e fazer o cadastro. É necessário possuir cartão de crédito.

Opções para alugar bikes na região da Pampulha

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *