Mais uma vez a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) se destaca pelo avanço de suas pesquisas científicas em prol da população. Desta vez, graças ao desempenho e seriedade do trabalho que está sendo realizado pelos cientistas para desenvolver a vacina SpiN-TEC, contra o Covid-19, a Prefeitura de Belo Horizonte (PBH) repassou a terceira parcela de R$ 6 milhões para a UFMG  “viabilizar os estudos” do imunizante.

Em junho, a prefeitura da capital assinou um termo de patrocínio que estabelece o repasse de R$ 30 milhões para os estudos de fase clínica 1 e 2 do imunizante. De acordo com a PBH, os recursos são oriundos do Tesouro municipal, dentro da dotação orçamentária da Secretaria Municipal de Saúde.

Na fase clínica 1 e 2 da SpiN-TEC, os pesquisadores da UFMG farão a testagem do imunizante, ainda neste ano, em adultos saudáveis, sem exposição prévia à Covid-19.

Essa testagem é requisito para a realização da terceira fase dos estudos e a consequente aprovação da vacina junto à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).Segundo a UFMG, caso os testes confirmem a segurança e a eficácia da vacina, o imunizante deverá chegar ao mercado ainda em 2022.

Confira as próximas fases para viabilizar a vacina desenvolvida em nossa região:

1.     Produção e formulação das vacinas;

2.     Contratação da empresa para supervisão dos processos do estudo;

3.     Testes de segurança pré-clínicos;

4.     Aprovação na Anvisa;

5.     Testes clínicos fase I e II

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *