A Pampulha mais uma vez se destaca como berço de grandes nomes. Desta vez, o engenheiro elétrico da UFMG, Allan Fagner Cupertino, de 29 anos, que foi premiado pela Applications Society (IAS), do Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE), nos Estados Unidos, como o autor da “melhor tese do mundo” em sua área. A pesquisa sobre “resoluções de alguns dos problemas na produção de energia renovável” foi desenvolvida entre 2016 e 2019 e apresentada no ano passado.

Sua tese de doutorado premiada recebeu o título, em tradução livre, de “Estratégias de modelagem, design e tolerância a falhas para compensadores síncronos estáticos modulares baseados em conversor em cascata” e trata de uma solução para problemas encontrados na produção de energia através de fontes renováveis, como a solar, a eólica, a hídrica e a maremotriz.

De acordo com a pesquisa de Allan, quanto mais uma usina solar ou eólica cresce, maior é a importância de um “acessório” que ajude em seu funcionamento constante. O problema é que esses “acessórios”, chamados de compensadores statcoms (sigla para static synchronous compensator), têm um custo operacional equivalente ao valor do próprio dispositivo de geração de energia. Por isso, em uma das abordagens de sua tese, o pesquisador propõe redução do custo operacional, seja de manutenção ou o custo fixo de operação. Para ele, um dos benefícios indiretos dessa redução na despesa é o aumento de integração das fontes de energia renovável.  “O sistema elétrico de potência está em um processo de transição e esperamos que em breve os países tenham matrizes energéticas 100% renováveis. Acredito que esta tese contribui para a redução de custos da tecnologia dos compensadores, que são cada vez mais importantes para o sistema elétrico de potência”, finaliza.

A TRAJETÓRIA ACADÊMICA DE ALLAN

Allan graduou-se em Engenharia Elétrica, em 2009, na Universidade Federal de Viçosa (UFV). Em 2013, veio morar em Belo Horizonte para fazer o mestrado na UFMG, concluído em 2015. Com o título de mestre, começou a dar aulas no Cefet-MG. E então, no fim de 2016, começou o seu doutorado, que foi finalizado em 2019.

Sua tese “Modeling, design and fault-tolerant strategies for modular multilevel cascaded converter-based statcoms” também foi eleita a melhor em engenharia elétrica da UFMG e recebeu o primeiro prêmio da Sociedade Brasileira de Eletrônica de Potência (Sobraep), além de ter sido indicada aos prêmios UFMG e Capes de Teses.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *