Quando se tem um patrimônio tão valioso quanto o Conjunto Arquitetônico da Pampulha, é preciso não só desfrutá-lo como também ter consciência sobre a preservação, para que futuras gerações também possam ter o prazer de conhecê-lo. Os cuidados com um dos nossos cartões-postais começam com ações individuais, como não jogar lixo na lagoa e, sobretudo, medidas mais amplas e custosas que exigem a participação direta da Prefeitura de Belo Horizonte.

Uma boa notícia para quem já percebeu alguns sinais de poluição da água, como o tom esverdeado, é a retomada do processo de desassoreamento (remoção de resíduos e sedimentos acumulados no fundo da lagoa), interrompido desde setembro do ano passado. A Prefeitura da capital mineira publicou no Diário Oficial do Município, em 22 de junho, que o trabalho será finalmente retomado em dois meses, com a abertura de licitação para contratação de um novo responsável pelo serviço. 

A previsão é que o resultado saia na quarta-feira (6), com o teto do valor dos serviços fixados em cerca de R$ 60,8 milhões. O contrato com a empresa vencedora da licitação terá duração de dois anos, a partir da assinatura. Há uma cláusula que permite uma renovação de até 60 meses, para o que o serviço não sofra uma paralisação abrupta.

Uma Lagoa da Pampulha com a água mais limpa possibilita, além de ressaltar a beleza do espaço, a permanência de outros importantes “moradores”, como peixes, répteis, pássaros e mamíferos. A vegetação aquática, por exemplo, serve de alimento para pássaros em rotas migratórias. Entre as espécies estão desde garças e biguás até o frango-d’água-comum, que, como o nome já indica, se assemelha a uma galinha pequena. Por lá também podem ser vistos peixes como cascudos e tilápias.

A Lagoa da Pampulha como moradia de animais é uma consequência natural da criação do espaço, ocorrida em 1943, na gestão de Juscelino Kubistcheck, e um convite para que possamos conhecer uma parte da nossa rica fauna. Quanto mais límpida for a água, mais espécies surgirão, aumentando os atrativos de um dos passeios mais celebrados de Belo Horizonte.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *